Manual do PAA orienta sobre alimentação saudável

Manual do PAA orienta sobre alimentação saudável

Informações para armazenar e preparar alimentos e também para estimular o consumo de frutas e vegetais da época são algumas das dicas do Manual de Orientação para a Oferta de Alimentação Adequada e Saudável, ou simplesmente Manual do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Se, há dez anos, no início do PAA, o objetivo era promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar, agora o desafio é também incentivar a população a ter uma alimentação adequada e equilibrada. 

O Manual de Orientação para Oferta de Alimentação Adequada e Saudável é voltado aos profissionais das instituições que recebem e preparam os alimentos servidos em mais de 6 mil instituições socioassistenciais em todo o país. O número representa 53% das organizações que recebem alimentos do PAA. 

A publicação apresenta um conjunto de orientações para incentivar os profissionais a identificarem a produção dos agricultores familiares da região e a forma como ela pode contribuir para a diversificação dos cardápios e da produção local. 

Queremos aproveitar todo o potencial da agricultura familiar, que tem produtos locais, diversificados e de alta qualidade nutricional , explica o secretário de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Arnoldo de Campos. 

É um instrumento que temos em um país que está virando a página da fome de um lado, mas que tem um enorme desafio de outro, que é enfrentar o sobrepeso, a obesidade e as doenças decorrentes da má alimentação. Para isso, uma dieta com alimentos saudáveis é fundamental.

O manual é uma ferramenta importante para orientar as ações das prefeituras e dos governos estaduais, que executam o PAA. Com as dicas do manual, municípios e estados poderão melhorar a relação entre os agricultores familiares e sua produção e os alimentos que são destinados às entidades , observa o coordenador geral de Articulação Federativa para o Abastecimento Alimentar do MDS, Fernando Brutto.

De acordo com ele, com o apoio técnico as instituições podem aumentar a qualidade e a diversidade dos alimentos oferecidos ao público da assistência social, incentivando a educação alimentar.

Além da elaboração de cardápios e acondicionamento dos alimentos para garantir suas qualidades nutritivas, o manual também mostra exemplos de mapeamento da época de colheita da produção para que os cardápios possam ser organizados de forma a respeitar e incentivar a cultura local. 

Orientações de como organizar a quantidade de alimentos necessária para refeições adequadas e de acordo com cada faixa etária também são encontradas no manual.

Seguindo a mesma direção do estímulo à alimentação adequada e saudável, em agosto deste ano, o MDS lançou dois Cadernos de Educação Alimentar e Nutricional, voltados à rede socioassistencial. Os cadernos apresentam conteúdo para subsidiar o trabalho dos profissionais e sugerem um conjunto de atividades lúdicas, pedagógicas e culturais com o objetivo de discutir e estimular boas práticas alimentares a partir da experiência de cada um.

Clique aqui para ler o Manual de Orientação para Oferta de Alimentação Adequada e Saudável.

Fonte: Ascom/MDS

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.