Município de Jacobina-BA institui Fórum Permanente Agroecológico

Por Luna Layse Almeida e Ediane Bispo (Comunicação COFASPI)

Na última quinta (21), representantes de pelo menos 40 organizações da sociedade civil e do poder público instituíram o Fórum Permanente Agroecológico de Jacobina, na Bahia. A ação é parte da iniciativa Agroecologia nos Municípios (AnM), da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), que tem como objetivo promover, apoiar e sistematizar processos de mobilização e incidência política no nível municipal visando a criação e o aprimoramento de políticas públicas, programas, projetos, leis e experiências municipais importantes de apoio à agricultura familiar e à segurança alimentar e nutricional e que fortalecem a agroecologia.

A programação do evento incluiu momentos de trocas e reflexões coletivas. Todas/os presentes compartilharam desejos de esperançar, fazendo resistências em tempos desafiadores. Momento político em que se vivencia uma conjuntura nacional de retrocessos, com ameaças e extinção de direitos, como também um cenário de aumento da pobreza durante a pandemia. Um contexto revelador de que “o agronegócio não é pop”, batendo recorde de produção enquanto a população passa fome.

Para contrapor esse modelo de desigualdades, os movimentos agroecológicos buscam coletivamente fazer contra-hegemonia: “construir uma nova dimensão de agricultura, do modo de vida do campo, das florestas e das águas para o país”, como destacou Carlos Eduardo Leite, membro do Núcleo Executivo da ANA na Região Nordeste e coordenador da Articulação de Agroecologia da Bahia (AABA). Ele relatou ainda as experiências dos Encontros Nacionais de Agroecologia (ENAs), o histórico de construções de políticas públicas e incidências políticas dos movimentos sociais em prol de uma agricultura agroecológica que alimenta vidas, valoriza as experiências das famílias agricultoras e povos tradicionais, protagonistas na produção de alimentos saudáveis. São esses alimentos que chegam na mesa da maioria das brasileiras e brasileiros.

Municípios Agroecológicos – Na Bahia, Jacobina foi escolhida como município piloto da iniciativa devido ao seu destaque a partir de um conjunto de experiências de famílias agricultoras, quilombolas e de outras comunidades tradicionais. Dentre elas, a Rede de Feiras Agroecológicas do Piemonte da Diamantina, com 15 anos de existência. Outras ações são as políticas públicas que fomentam os processos de transição agroecológica, a exemplo da assistência técnica implementada por organizações sociais, com parceria dos Governos.

Na região, a Cooperativa de Trabalho e Assistência à Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (COFASPI) é uma das articuladoras do Municípios Agroecológicos, entidade que tem mobilizado outros coletivos a compor esta iniciativa de construção coletiva. A partir da constituição do Fórum Permanente Agroecológico de Jacobina/BA, as organizações integrantes deste grupo elaboraram uma carta compromisso que foi também assinada pelo Prefeito de Jacobina, Thiago Dias (PCdoB). O documento descreve os objetivos do Fórum e sua composição, com a formação das comissões de: assistência técnica; cooperativismo; educação; meio ambiente; e gêneros. O próximo passo é o planejamento de ações de cada comissão, a organização de uma audiência pública municipal, dentre outras iniciativas a serem gradualmente estruturadas, alimentando as utopias que movem as lutas pela vida.

Deixar uma resposta